segunda-feira, dezembro 12, 2005

Que o Tempo não cansa

Que o Tempo não cansa
a força das marés...

nem esbate
a cor do céu
nem a frescura das manhãs...

como em nós...
cada dia que nasce
nascem novas formas
de conjugar o Amor!

Eduardo Leal em 1 de Julho de 2005

6 comentários:

BlueShell disse...

Grata pela visita...Bom...não sei se era aqui...ou no outro blog que devia responder. Voltarei.
Obrigada, BShell

BlueShell disse...

Ah...o poema está uma maravilha.
Como sria bom poder ou "saber" "Conjugar o Amor"....

Maria do Céu Costa disse...

Um poema de conjugação poética entre o tempo e amor. Gostei de ler. Beijinhos.

Sulista disse...

Eduardo Leal,

tenho a ideia (posso estar redondamente enganada), de que haverias de gostar de espreitar o Blog do grande amigo Ruben:

-O Sítio do Ruvasa-
http://ruvasa.blogspot.com

Quanto a todos estes poemas,
nã tenho habilitações para os julgar. Só sei que gosto, que os acho muito bonitos ;-)

Eduardo Leal disse...

Obrigado Maria João,
Lá irei ao blog do Ruben.

JL disse...

Três poemas lindos. Sem mais. Já os li mais de um cento de vezes!