domingo, dezembro 04, 2005

Homenagem a Mário de Sá Carneiro

Porque a Poesia tem lastro...
Porque os Poetas que somos, somos porque ouvimos os Poetas...

Esta é uma forma de homenagear Mário de Sá Carneiro, porque quando eu morrer...


Quando eu morrer
deitem-me ao lume.
Record’em mim
a chama toda
da vida
que eu já não tenha.

Depois...
soprem nas brasas,
misturem a morte inteira
na alma duma Videira!

Que um Homem
só se termina,
se a morte for a alegria
da festa duma vindima.

Eduardo Leal em 31-08-86 (já foi há tanto tempo!!...)

4 comentários:

Sulista disse...

Já foi há muito tempo mas não deixa de ser um poema bonito.

Vou vos linkar este blog :-)

Sulista disse...

Não é por nada e isto é só uma opinião meramente pessoal
mas o novo grafismo deste blog está um pouco rígido, frio para
um blog que se quer de artes literárias...de design suave, de lettrings mais desenhados, de tons clarinhos mas não todo branco...

ProntoSSSSSS, desculpem qq coisinha, foi só uma opinião...com o blog assim ou assado, eu venho cá na mesma sempre :-)))))

Sulista disse...

Ah Ah Ah!!!
...está muuuuuito melhor! O lettring e template estão óptimos mas o fundo com este verde??! :-)
...Se ainda me permitem, que tal um amarelo acastanhado clarinho...tipo papiro, papel antigo...?? :-)))))))))

Sulista disse...

ProntoSSSS, rendo-me!! ...isto
é de ir às lágrimas...de tanto
me rir :-)

Na minha modesta opinião, agora o Blog está (quase) óptimo assim,
sim senhor!