quinta-feira, março 09, 2006

Vagueia o pensamento

Vagueia o pensamento que não larga
O teu sorriso lindo da memória
Que oculto no peito. Disseste, amarga,
O Adeus das vãs promessas de uma história

Escondida dos olhares, em velha adarga,
Que tingimos de tinta, amor e glória
Estéril. Sucumbe e apodrece na varga
O teu e o meu desejo de vitória.

O tempo não apaga o louco afã
Onde sufoca o condenado grito
Que não queres ouvir. Negro o véu e choras

A distância que entre a noite e a manhã
Existe. Fecha-me o céu, mata o mito
De dizeres ao ouvido que me adoras.

joão lopes

7 comentários:

~*Vica*~ disse...

Lindo esse poema, andas inspirado. Beijos.

Alma disse...

Lindíssimo!
Parabéns.
Beijoca

Silêncios disse...

Olha o que eu encontrei!!!
Estou encantada...:))

sattelite disse...

Para mim o melhor blog é...
Vote em www.o-sattellite.blogspot.com

blue note disse...

Meu doce João...

Parti deste mundo virtual. As razões essas ficarão no segredo dos Deuses. Mas és das raras pessoas a quem não poderia deixar de dizer o quanto te gosto o quanto fizeste sentido e fazes, para mim. Estarei sempre aqui a ver-te a ler-te. A beber as tuas palavras, as tuas ideias...

Um beijo maior que o infinito da tua Florinda Risco Tulipa.
E um ramo de flores para ti.

JL disse...

Florinda Risco Tulipa,

Fico com pena que tenhas ido assim, abruptamente, sem aviso e sem dares oportunidade de dizer um Adeus lá no teu espaço. Ainda assim gostaria de continuar a contar contigo por estas bandas e, se possível, com as palavras que deixas e que todos gostam de ler e saborear.

Um beijo

blue note disse...

Sabes João...

Não gosto de me despedir... mas entendo-te. Quando para cá vim fi-lo de uma forma absolutamente transparente, desconhecendo este mundo, escrevendo porque sim, só. Quando essa transparencia foi invadida só me restava a partida sem alarde. Mas a ti digo, direi, que se um dia voltar te farei sinal, pelo respeito que te tenho.

Um beijo grande ( e muito obrigada pelas tuas palavras)