sexta-feira, janeiro 27, 2006

Como o fogo e a palha...









Como o fogo e a palha ... assim se olham
na minha inquieta alma
o desejo e a calma...

Como o ar e a chama ... assim se dizem
nos sobressaltos do meu riso
a loucura e o siso...

E as pastagens dos meus rebanhos,
as águas quentes dos meus banhos,
são assim saudades,
mil desejos e vontades...

de cedo... ansioso e nunca breve
adormecer contigo,
no silêncio de quem ama,
lado a lado em tua cama...

Funchal, 27 de Janeiro de 2006

6 comentários:

sofia disse...

Lindo!
Muito bonito mesmo.

Anónimo disse...

Lindíssimo!!!!
Quem me dera ser a tua musa...

JL disse...

Este poema está fenomenal. Adorei. E não fui o único. Parece que tens aqui uma fã secreta ;-)

~*Vica*~ disse...

Passei por aqui e gostei do que li. Beijos aos poetas!

Bitta disse...

A tua pena é especial...

Alma disse...

Descobri o blog do amigo, do amigo JL, e gostei...muito;)