quinta-feira, junho 22, 2006

Quando me olhas

Quando me olhas e dizes: não te quero!
Rasga-se o peito que acolheu a dor
Das mágoas que trazias em pendor
Oferecidas por quem te foi severo.

Dizes-me: Não te amo, não te espero!
Agitam-se meus olhos em langor
E sentem que afinal não foi amor
O amor que me juraste são e vero.

Dizes que não te quero nem desejo,
Nem quis ou desejei um dia atrás.
Se fui, na tempestade, teu abrigo

Agora não vislumbro tal ensejo!
Dizes que eu sou a guerra e tu a paz;
Que foste amiga e eu um vil amigo!

joão lopes

5 comentários:

Maria P. disse...

É duro ler este poema, mas belo.

beijinho.

Silêncios disse...

Palavras de controvérsia...
Mesmo assim, lindo o poema.
Um beijo para ti

Mim disse...

A paixão pela ideia de se estar apaixonado.

Anónimo disse...

Best regards from NY! » »

Anónimo disse...

Very cool design! Useful information. Go on! »