quinta-feira, abril 20, 2006

Noite e sonhos

A noite caiu já!... Suavemente
O negro manto arrastou-se e desceu,
O silêncio prantou-se, tristemente
Um coração magoado adormeceu!

Das brumas do amor, de longe se ergueu
O sonho que alimenta eternamente,
Vagueou p’la noite escura como breu
E uma alma envolveu tão docemente

E o sonho saciou, deu alimento
Arrastando os delírios de um amor,
Que em nada à alma trouxe maus assombros!

Fez-se luz e partiu do pensamento;
O dia foi trazendo o dissabor
Que o sonho deixa ao transformar-se em escombros.

joão lopes em 1989

4 comentários:

Maria P. disse...

Lindíssimo.
Bom fim de semana.
Bjo:)

aprendiz de viajante disse...

gosto tanto dos teus poemas, este então nem se fala!

um bjo e boa semana.

Silêncios disse...

Dos escombros tudo renasce...
Um beijo grande, JL

Pluma disse...

Como sempre maravilhoso.
Beijo JL