sexta-feira, outubro 13, 2006

Amo-te Mulher! Só Deus sabe quanto!
Desde quando não sei... e pouco importa!
Sei só que te amo e, deveras, tanto
Que renasceu a vida, em mim, já morta.

Deixaram já meus olhos triste pranto;
E à solidão cerraram, já, a porta.
Meu choro transformou-se em alegre canto,
Já minh’alma tristezas não transporta

Amo-te Mulher, o quanto não sei!
Sei só que te amo e igualmente quero
Esse teu amor ledo, amigo e puro.

E a minh’ alma e meu corpo entreguei
Ao amor que me ofereceste, sincero,
E arrancou a minha vida do escuro!

joão lopes em 1989

5 comentários:

rosa maria disse...

E para além desse amor...pouco mais intressa...

Anónimo disse...

Mt belo este teu poema!

Boa semana

Menina_marota disse...

E, para além do amor, nada mais existe... só Amor!
Lindo. Adorei!

Bj ;)

Poesia Portuguesa disse...

Espectacular!

O amor... é um sentimento maravilhoso!

Bj ;)

Rosa Brava disse...

Li e reli...

Um soneto maravilhoso!

Deixo um abraço ;)